+ Ampliar Foto
fechar x clique na foto para trocar
  • ÁGUAS DE CLAUSURA / Edelson Nagues   
  • Código: 978-85-366-2622-2
  • Scortecci Editora - Poesia - Formato 14 x 21 cm - 1ª edição - 2012 - 56 páginas

  • R$20,00
  • Em Águas de Clausura, um navegar im/preciso pela precariedade da condição humana, com seus vieses e avessos. Na prisão do determinismo forjado por desvios e imposturas, o homem se debate, errante, contra as ondas da solidão e do medo, descobrindo-se algoz de si mesmo. Nas vagas da incompletude, ao se liquefazer, enfim – e entre tantos –, permeia os des/vãos das ideologias e vislumbra um trajeto possível entre o caos e o cais.

    Quando o grosso da Poesia parece encontrar-se num limbo entre excessos surrealistas, concretismos com rachaduras aparentes e parnasianismos que estão mais para o artesanato que para a arte, é revigorante ler Águas de Clausura: Edelson Nagues navega com naturalidade pelo onírico sem tornar-se hermético, pelo gráfico sem permitir que a música poética dê lugar à mera tipografia, pela norma culta sem soar pedante. O leitor de Edelson encontra referências (que nem sei se voluntárias ou não) a Manoel de Barros, a João Cabral de Melo Neto, a Paulo Leminski, entre outros. Em comum com eles, o autor tem as valiosas e raras virtudes de unir a contemporaneidade ao intemporal; de fazer uso destro da língua (a ferramenta-por-excelência do poeta) sem eruditismos desnecessários; de usar ritmo e melodia com naturalidade e sem recorrer a artifícios primários. Águas de Clausura, a estreia poética de Edelson Nagues em livro, vem reforçar as fileiras da boa poesia brasileira.
    Allan Vidigal - Escritor

* As fotos dos produtos são ilustrativas e não correspondem ao seu tamanho real.
Voltar